segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Contaminação cruzada por glúten. Já ouviu falar?


Logo no comecinho do curso de gastronomia os professores já pegavam no nosso pé sobre os riscos e os cuidados para evitar a contaminação cruzada, afinal, temos que zelar pela saúde daqueles que estamos alimentando. E como é essa contaminação? Fácil!

É quando um alimento, geralmente cru, possui micróbios causadores de doenças e, acidentalmente, transfere esses agentes patogênicos para um outro. 

Isso pode ocorrer de diversas formas, desde o simples fato de não lavar as mãos, até cortar um pedaço de carne já pronto com uma faca que antes esteve em contato com uma batata sem higienização, por exemplo. 

Aí o que acontece?! Dor de barriga, vômito, diarreia.... etc.

Na contaminação por glúten não é diferente, um alimento ou objeto que contenha glúten (objeto com glúten?! Calma!) entra em contato com um que não tenha e... BUM! Contaminou.

Os alimentos que contém glúten a gente já sabe mais ou menos quais são, mas e os objetos? Bom, aí as possibilidades são incontáveis, ex: sanduicheira que fez um pão com glúten, panela que fez macarrão, forma que fez bolo, esponja que lavou a forma, copo que bebeu cerveja, forno usado para assar alimentos com glúten.... parece exagero, né?! Mas não é, não.

Um simples contato com algum desses utensílios pode fornecer a um alimento naturalmente sem glúten um potencial ofensivo igualável ao consumo de um pão francês ou um prato de massa para um celíaco.

Vamos aprender aqui alguns cuidados básicos que são de extrema importância para evitar qualquer problema:

1- O ambiente em que são preparados pães, bolos, biscoitos com glúten, não deve, sempre que possível, ser o mesmo ambiente para preparo de alimentos sem glúten. 

2- Os utensílios utilizados para a confecção de alimentos sem glúten não devem ser utilizados na confecção de alimentos com glúten. Isso inclui panelas, torradeiras, sanduicheiras, papel manteiga e alumínio, peneiras, etc...

3- Na hora da lavagem na máquina os panos de prato, os guardanapos e as toalhas de mesa que são usados na confecção de alimentos sem glúten precisam ser separados.

4- Farelos e pedacinhos de alimentos que estejam em cima do balcão, no microondas, no forno, na tábua de corte ou nos cantos de seus pratos de cozimento oferecem risco de contaminação.

5- Armazene os alimentos isentos de glúten bem embalados antes de fazer qualquer coisa com farinhas com glúten. Poeira de farinha no ar, proveniente de farinhas com glúten, contamina os alimentos, a bancada e os utensílios. A poeira do trigo pode permanecer 24h em suspensão depois de sua utilização.

 Essas são apenas algumas formas de prevenção, como mencionei, existem muito mais formas de contaminação e de prevenção. Doença Celíaca não é modinha, a prevenção dos sintomas deve ser levada a sério, qualquer deslize pode acarretar até na morte do indivíduo.

Caso queiram se aprofundar mais sobre os cuidados e virarem experts hehehe tem muito mais no site da FENACELBRA (Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil), inclusive foi daqui que retirei a listinha que coloquei ali em cima ;)

Até mais!

Um comentário:

  1. Olá,

    Eu asso pães no forno do meu fogão, geralmente de farinha de trigo. Se eu assar de farinha de arroz, pode contaminar o pão?

    ResponderExcluir